• (41) 3671-8800
  • Seg. à Sex. 8h00 às 12h e 13h30 às 17h30

Estão abertas as inscrições para a Brigada Voluntária Combatentes do Anhangava

 

Publicado em: 30/11/2021 17:04 | Fonte/Agência: Secretaria de Comunicação

Whatsapp

 

Estão abertas as inscrições para a Brigada Voluntária Combatentes do Anhangava

Crédito: Bruno Stier/PMQB

Trabalho coordenado entre voluntários, moradores e montanhistas tem garantido rápida resposta no combate e contenção de incêndios florestais, uma ação eficaz na preservação do meio ambiente
    
Criada no ano passado através de uma parceria entre a Federação Paranaense de Montanhismo e a Defesa Civil de Quatro Barras, a Brigada Voluntária Combatentes do Anhangava (Brivoca) reúne voluntários do município, entre moradores e montanhistas, para atuar no combate a incêndios florestais tanto no Parque Estadual da Serra da Baitaca, como também em áreas florestais por todo o território municipal.
    
Este trabalho voluntário que visa, sobretudo, a preservação das florestas e da sua rica diversidade ambiental, agora poderá ganhar reforço. Estão abertas as inscrições para voluntários que queiram atuar na brigada, auxiliando o trabalho de bombeiros e agentes da Defesa Civil, de forma integrada, para reduzir o impacto das queimadas no meio ambiente, especialmente em áreas destinadas à proteção da fauna e da flora.  

Entenda como acontece o trabalho nas brigadas    
Além do Corpo de Bombeiros, a Federação Paranaense de Montanhismo (Fepam) tem autorização do Instituto Água e Terra (IAT) e dos bombeiros para atuar nos parques estaduais ou unidades de conservação ambiental. Para esta finalidade, a Fepam possui uma brigada composta por voluntários que atua em todo o Estado.
    
O trabalho ganha ainda mais força com as brigadas locais, que é o caso da Brivoca, composta por voluntários que atuam dentro dos limites do município de Quatro Barras. A atuação destes voluntários é sempre integrada, similar a uma rede, com ações colaborativas das diversas partes. Olheiros da Fepam, em Curitiba e Região Metropolitana, ficam atentos a focos de incêndio na Serra do Mar e nas unidades de conservação.
    
Ao identificar um foco de incêndio em Quatro Barras, seja através dos olheiros ou dos próprios voluntários do município, imediatamente o ponto é divulgado no grupo de WhatsApp ‘Foco no Fogo’, que reúne voluntários da brigada da Fepam, da Brivoca e do Corpo de Bombeiros. Ao compartilhar o ponto, responsáveis pela brigada fazem a triangulação, buscando identificar, da forma mais precisa possível, a localização da queimada.
    
É aí que o trabalho braçal começa, com a atuação a campo das equipes. Pela proximidade com as áreas afetadas, os voluntários muitas vezes conseguem já em poucos minutos iniciar o trabalho de combate aos incêndios, até a chegada dos bombeiros, e, em casos de incêndios com menores proporções, até mesmo combater de forma integral as chamas, o que reduz de forma significativa os impactos gerados ao meio ambiente.
    
Por trás deste trabalho, também há grande articulação dos voluntários. Em vários pontos da montanha estão armazenados milhares de litros d’água, em garrafas pet, levados ao alto um a um pelos voluntários. Quando ocorre um incêndio, a água disponível nestes pontos estratégicos é usada para alimentar as bombas costais utilizadas no combate às chamas, o que também encurta o tempo de resposta na contenção do fogo. 
    
Segundo o voluntário da Brivoca, Guto Simião, em apenas 3 meses do ano passado, os voluntários atenderam 8 ocorrências de incêndio no parque, intensificadas pela estiagem, mas geradas, sobretudo, pela ação humana. “Fogueiras, bitucas, velas são os principais causadores destes incêndios, que têm um grave impacto ambiental. Por isso, sempre alertamos a população e visitantes, buscando conscientizar sobre a responsabilidade e o papel de cada um na preservação e manutenção destas áreas verdes”, contou Guto.
    
A atuação dos voluntários, como o próprio nome já diz, não é remunerada. Quem adere à brigada atua de forma voluntária, visando um bem comum: a preservação das florestas e de todas as espécies, da flora e da fauna, que coexistem nestes espaços de conservação ambiental. 

Inscrição, seleção, capacitação e identificação
Pessoas interessadas poderão se inscrever para ser um voluntário pelo link: INSCRIÇÕES. Não há perfil exigido para cooperar, mas dependo das aptidões dos voluntários, eles serão direcionados para ramos de atuação correspondentes. As inscrições e seleção dos candidatos serão realizadas pela Defesa Civil de Quatro Barras, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura. 
    
Após a seleção, os inscritos participarão de capacitações específicas para atuar na brigada, por meio da Defesa Civil. Em caso de membros já atuantes, a proposta é também fazer cursos de reciclagem para atualizar os conhecimentos. Outra medida será a confecção de carteirinhas de identificação, que vão balizar a atuação do grupo, junto aos agentes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. De forma paralela, a Defesa Civil de Quatro Barras também está investindo na aquisição de novos equipamentos para uso dos voluntários frente às novas ocorrências.
    
O secretário de Meio Ambiente, Cariovaldo Ferreira, destacou a importância do trabalho da brigada, através da parceria com a sociedade civil. “É um meio de permitir e legitimar às pessoas engajadas neste tema a contribuir de forma decisiva nas ações de combate a incêndios e preservação do nosso patrimônio natural. Um trabalho que ganha força com a participação da sociedade”, destacou o secretário. 

Quatro Barras: patrimônio a conservar
Com grande potencial turístico e receptiva para visitantes, Quatro Barras guarda em seu território áreas preservadas e o Parque Estadual da Serra da Baitaca, onde estão inseridos o Morro Anhangava e o histórico Caminho do Itupava. Pontos de visitação como o Morro Pão de Ló também tem alta procura por visitantes que buscam contato com a natureza. 

Todo este potencial requer cuidados. Por isso, é importante que moradores e turistas visitem estes espaços com respeito e responsabilidade, entendendo que só através de uma atuação harmônica estes grandes legados da natureza permanecerão conservados para as gerações futuras.